IN XUTOS, sempre em cima, sempre à frente, intemporais...


"Senhor engenheiro,

Dê-me um pouco de atenção

Há dez anos que estou preso

Há trinta que sou ladrão

não tenho eira nem beira

Mas ainda consigo ver

Quem anda na roubalheira

E quem me anda a comer.


É dificil ser honesto

É difícil de engolir

Quem nada tem vai preso

Quem tem muito fica a rir


Ainda espero ver alguém

Assumir que já andou

A roubar

A enganar

O povo que acreditou"

(...)

sinto-me: em sintonia
música: Sem eira nem beira
tags:
publicado por Ana às 09:59